sábado, outubro 20, 2007

Parquímetros em Fornos de Algodres - Um debate responsável!


Numa altura em que já estão em pleno funcionamento os parquímetros na principal avenida comercial de Fornos de Algodres considero importante fazer-se um debate responsável e com espírito construtivo acerca desta opção da autarquia.

Segundo a sondagem lançada no meu blogue, 60% das pessoas concordam com esta opção autárquica.

Na imagem deixo alguns pontos que a meu ver, podem ter levado as pessoas a votar num ou noutro sentido, pelo que é bastante provável que existam outros pontos que consolidem uma ou outra opção.

Assim, aproveitem este espaço para opinar acerca do tema e dos pontos que lanço na imagem, sempre com o espírito construtivo que desde sempre foi a imagem deste blogue!

P.S: Cliquem na imagem para aumentar a qualidade.

11 comentários:

al cardoso disse...

Eu fui dos que votei a favor, creio que dessa forma havera mais estacionamento para as pessoas que vem a zona comercial, porque de outra forma muitos dos estacionamentos estariam ocupados todo o dia por residentes ou funcionarios dos varios servicos!
E uma norma que tambem se usa por aqui.
Ja quanto a um parque de estacionamento municipal, foi um erro nao terem designado algum terreno junto da area de comercio e ser utilizado para o efeito, opccoes camararias, depois os vindouros que se lixem!

Um abraco de amizade e bom domingo.

João de Barros disse...

Toda a gente sabe que os parquimetros que foram colocados, foram porque os comerciantes (todos sabem quem são) que estão localizados em frente á Câmara Municipal se sentiam prejudicados com a afluencia de pessoas e constituia no seu entender uma forma de concorrencia desleal, pq para as pessoas paraem em frente aos seus estabelecimentos tinham que pagar e uns cinco metros mais adiante era paragem livre de pagamentos. A meu ver, o cerne da questão passa por este "azedume" enão por outros motivos.
cordiais saudações a todos os fornenses

João de Barros

Fernando disse...

Concordo, na sua totalidade com o amigo Cardoso.
Eu também votei sim, pois penso que assim se acaba com o estacionamento abusivo. E tal como me dizia um amigo numa dessas conversas de café, muitas das vezes são os carros das diferentes partes interessadas no estacionamento livre, que têm lá o carro parado quase todo o dia. A meu ver o ponto negativo, é não existir num raio mais próximo ao eixo comercial um estacionamento livre, tal como acontece em todos os centros urbanos.

al cardoso disse...

Como refere o amigo Fernando, tambem eu esperava mais visao de futuro por parte da autarquia, pois devia ter reservado uma area junto do eixo comercial para um parque de estacionamento!

Um abraco a todos os fornenses e leitores em geral.

al cardoso disse...

Caro Alex:
No "aquidalgodres" ha uma ideia nova!!!

Um abraco.

Anónimo disse...

Eu votei sim,a meu ver é bom para o comercio pois á mais facilidade de encontrar estacionamento!
Mas acho que os sinais não estão corretos estive a dar uma olhadela ao livro de código e não acho que possam multar alguém por não pagar pois nada diz que o parque é pago, para mim podem é multar se estacionarmos depois das 18 horas,penso que não estou enganado!
António Cardoso

Alexandre Lote disse...

Eu sinceramente tenho dúvidas quantoao benefício que esta medida possa vir a ter no futuro da nossa localidade.

Concordo obviamente, que será importante do ponto de vista da moderação do estacionamento, sobretudo por parte das pessoas que estão directamente ligadas à zona comercial.

Não acredito sinceramente que tenha sido por razões financeiras que a CMFA tenha optado por esta medida. Acredito sim, que o tenha feito com a intenção de proporcionar mais estacionamentos para a população na zona comercial a um preço que eu considero razoável.

As minhas dúvidas quanto ao sucesso da medida prendem-se com o facto de em Fornos não existirem alternativas, ou seja, um praque de estacionamento na zona comercial livre de pagamento e que possibilite às pessoas deslocarem-se em linha "recta" para a zona comercial. Sendo assim, existem duas opções para a população que não queira pagar o parquímetro na zona comercial, que são a Zona Sul e o largo da Misericórdia.

Sinceramente não me parecem boas alternativas porque as pessoas serão obrigadas a fazer esforços consideráveis para fazer as rampas tanto num caso como noutro. A meu ver, a melhor alternativa passa mesmo por pagar o parquímetro, mas não será fácil explicar a uma população, infelizmente cada vez mais envelhecida que o pagamento de uma taxa de estacionamento é a melhor solução para que possa fazer as suas actividades na zona comercial.

Se a mensagem for devidamente passada à população, julgo que todos (comerciantes/população) poderão ganhar com a medida, mas se isso não acontecer, todos poderão infelizmente perder!

Debaixo do Bulcão disse...

Em Almada também se instalaram, há cerca de 10 anos, parquímetros nas avenidas centrais da cidade. Foi o bom e o bonito! Eu só ouvia descontentamento com essa medida.
Hoje, as pessoas habituaram-se. Mas, preferencialmente, continuam a estacionar os carros em cima dos passeios, para não pagar o parquímetro.
A Câmara criou uma empresa municipal para fiscalizar essas situações.
Está a ser o bom e o bonito!
As pessoas, por sinal, julgam que têm legitimidade para continuar com os carros estacionados em cima do passeio.
E tenho ouvido muitas críticas à actuação da tal empresa fiscalizadora.
Mudaram-se os tempos mas (pelo vistos) não se mudaram as "vontades".

Cumprimentos!

António Vitorino

Magno disse...

Os parquimetros em locais como Fornos de Algodres são uma forma de criar receitas à autarquia!
Em cidades como Lisboa e Porto dotadas de transportes públicos e com problemas graves de mobilidade estes são um ponto fulcral de promover o estacionamento rotativo, e proteger os residentes das zonas tarifadas de forma a que estes possam estacionar em local designado para o efeito!
Fornos de Algodres no seu eixo comercial dotou a Vila de Parquimetros, no entanto também se deve fiscalizar a zona em volta do estacionamento tarifado, no que concerne a estacionamento na faixa de rodagem em frente à Caixa Geral de Depósitos, e em cima da passadeira em frente ao municipio.
No entanto o paquimetro deveria ter mais lógica se a Vila fosse dotada de transportes públicos competitivos em relação ao automóvel!
Ao menos que o comércio local ganhe com esta medida ao promover o estacionamento rotativo. Seria interessante ao fim de um ano apurar de forma cientifica se a introdução de parquimetros junto ao eixo comercial contribuío para aumentar as recitas por parte dos comerciantes locais.
Já agora quem não efecturar o pagamento do estacionamento nas zonas tarifadas pode ser autoado com uma coima de 30, 00 € a 150,00€, de acordo com o artigo 71º nº 1 al. D do Código de Estrada.

quintadocochel disse...

O estacionamento no interior das localidades vai-se agravando na medida em que cada vez há mais veículos e menos espaço livre. Sendo certo que boa parte dos portugueses são comodistas, havendo alguns até que, caso fosse possível, levavam o automóvel para o interior das lojas, parece-me que será a solução adequada pagar o local de estacionamento, pois assim já não se vê a usurpação do espaço (veículos estacionados durante um dia inteiro e até mais, na Rua Estrada Nacional 16).
Contrariamente àquilo que se pensa, a câmara pouco lucra com o valor das receitas cobradas e está numa posição que não agrada a gregos nem a troianos, paciência!
Inicialmente a sinalização colocada na 2ª fase de limitação do estacionamento estava erradamente colocada, pois proibia o estacionamento a partir das 18 horas, contudo, já foi corrigida com a colocação do aviso de "parque pago"!

Rui Costa disse...

Concordo com o estacionamento pago, desde que as tarifas estejam de acordo com a situação actual.
Vantagens imediatas:
Fonte de receitas para o Município;
Maior frequência de estacionamento livre;
Desvantagens:
As pessoas que trabalham na zona abrangida pelo estacionamento pago e não quer ter essa despesa, passam a ter que estacionar fora desse perímetro.


Rui Costa