sexta-feira, março 09, 2007

Portas viu a porta aberta e...entrou!


Este tema é escolhido por mim de forma a demonstrar a importância que a palavra tempo tem em tantos sectores do nosso país, sendo que desta vez aparece ligado á política.

Pois bem, comecemos pelos factos:

1- Ribeiro e Castro ao longo destes meses de liderança entrou numa guerrilha interna contra o seu próprio grupo parlamentar, ou o grupo parlamentar contra si, sendo que isso depende da interpretação de cada um. A ideia que ressalta desta guerrilha é a de que, na maioria das sondagens o CDS-PP aparece como a 5ª força política em Portugal atrás do Bloco de Esquerda, o que demonstrabem, o quão bom tem sido este clima para o partido.

2- Sempre que ouvimos um discurso do líder do CDS-PP, torna-se difícil não desligarmos daquilo que o Dr. Ribeiro e Castro está a dizer! Porquê? Porque ele não tem o dom de demonstrar ás pessoas que de facto tem convicção no que está a dizer, o que posteriormente se reflecte no facto de as pessoas não se identificarem no seu discurso.

3- Julgo que o Dr. Ribeiro e Castro cometeu um erro grave ao julgar que poderia liderar o partido longe do parlamento, o que o impede de fazer uma oposição de forma responsável e sobretudo séria. Então com o grupo parlamentar do CDS-PP de costas voltadas para com o seu líder, a ideia que fica em todos os debates no parlamento é o seguinte: então mas estes são o CDS ou o PP?

Estes são apenas 3 pontos que fizeram com Paulo Portas avançasse com a intenção de se candidatar a livre do seu partido. De todos os discursos que lhe ouvi, resumo as suas intervenções no seguinte:

1- Candidato-me porque o meu partido não tem neste momento uma agenda visível
2- Candidato-me porque não existe uma oposição credível ao Engenheiro Sócrates
3- Candidato-me porque quero ver o CDS crescer no centro direita.

As conclusões que tiro destes pontos são as seguintes:

- Paulo Portas ao ver a fraqueza existente na oposição no centro direita português (PSD e CDS) decidiu avançar nesta altura. Avançou porque esta é de facto a altura em que ele (Paulo Portas) pode fazer crescer o seu partido, uma vez que, tendo o PSD um líder de transição sem grandes resultados no que diz respeito á oposição ao governo, esta será a melhor altura, não para ganhar votos ao PS mas sim ao PSD. Não foi ingenuamente que ele referiu inúmeras vezes a palavra centro direita...

Fez portanto um discurso inteligente, em que sem atacar directamente ninguém do centro direita, deixou bem claro que este é o momento certo para o CDS-PP ganhar alguns votos ao PSD que porventura lhe poderão ser muito úteis nas próximas legislativas em 2009...

3 comentários:

al cardoso disse...

Se analizar-mos bem o ideario e programas politicos dos partidos, chegariamos facilmente a conclusao que o PS e PSD se encontram numa mesma area politica, ou seja a esquerda moderada, pelo que o mais natural seria uma fuzao entre os dois, ficando os mais moderados com o outro partido a direita; CDS-PP e, os mais esquerdistas com a esquerda; PCP ou ate o BE.
O que nunca houve em Portugal depois de 25 A. foi uma experiencia de um governo de direita, creio que ja estamos a tempo de experimentar, olhem em Espanha resultou, foi o governo do PP de Aznar, que fez esse pais ir para o centro economico da Europa enquanto nos geridos por PSD's e PS's cada vez nos afastamos mais!!!

Um abraco fornense.

Debaixo do Bulcão disse...

Obrigado pela visita ao meu blog (vitorinices.blogspot.com). Com certeza que pode "linká-lo" aqui! Fico muito agradecido. Em breve farei o mesmo no meu . Pode demorar alguns dias, mas não fica esquecido!

António Vitorino
(não, não sou o "comentador"...)

Daniel Pinto disse...

Xande, se me é permitido opinar, eu acho muito sinceramente é que o Paulo Portas "arrombou a porta... e vai entrar! Um grande abraço