quinta-feira, março 22, 2007

Um paraíso esquecido em Fornos de Algodres!




Aproveitando o Dia Mundial da Água, veio-me á memória triste imagem que recolhi neste fim-de-semana, caminhando nas margens do Rio Mondego em Fornos de Algodres.

Ao passear pelas margens do Rio, verifiquei alguns pontos que em nada favorecem o aproveitamento desta potencial riqueza que Fornos de Algodres teima em desperdiçar.

1- As acessibilidades ao contrário do que felizmente se verifica no nosso concelho, no que diz respeito às margens do Rio Mondego estas encontram-se em muito mau estado.

2- A zona envolvente do Rio continua sem ser requalificada, encontrando-se "suja". Sem a requalificação desta zona será impossível atrair investimento privado para este local.

3- A inexistência de qualquer obra que vise a construção de balneários, por forma a tornar mais higiénica e agradável a permanência dos banhistas. Assim será impossivel criar condições para que visitem e desfrutem novamente do Rio, uma vez que não lhe são garantidas as melhores condições de conforto e qualidade.

Julgo que seria muitíssimo importante para o nosso concelho fazer algum investimento em algo que certamente traria mais valias e que por consequência atrairia outros investimentos que poderiam impusionar o desenvolvimento de Fornos de Algodres.

Mas nem tudo é negativo no nosso concelho. Ao passear pelas margens do Rio verifiquei também que a empresa Zêzere e Côa está a construir uma infra-estrutura com o objectivo de melhorar a qualidade da água que chega a nossas casas...julgo que seria um passo importantíssimo, não só no que diz respeito ás condições higiénicas da população, como também uma "arma" a ser utilizada aquando de negociações, com o objectivo de captar empresas viáveis para o nosso Concelho.

Numa perspectiva mais global, espero que as pessoas, começando por mim, dêm mais valor a este património único que possuímos e para o qual olhamos de uma forma por vezes indiferente, a água. Aconselho todos os leitores a ver o Vídeo existente neste blog, para que de uma vez por todas nos consideremos uns seres felizes por possuirmos água nas mínimas condições higiénicas, sabendo que existem crianças que morrem constantemente devido a não terem acesso á água em condições mínimas que lhes permitam sobreviver.

Sendo a água a molécula que permite a vida, preservê-mo-la como se da nossa vida se tratasse.

3 comentários:

Ultra Beirões disse...

Partilho da tua opinião. E nós que ás vezes nos queixa-mos da nossa interioridade, aqui está algo que poderia atrair muita gente á nossa terra, principalmente no Verão, porque cada vez mais se verifica que a praia já não é "o destino" de férias para muita gente. Mas mais importante que atrair, seria o de fixar, neste caso, a não nos fazer sair da nossa terra.
Abraço e viva ADFA!

al cardoso disse...

Quando olhei para esta fotografia, tambem me lembrei do quando se poderia fazer nas margens do nosso Mondego, mas para isso era necessario visao de futuro, coisa que pouco se ve pela nossa terra!

Passe pelo "Aquidalgodres", tenho la uma entrada, baseada num seu comentario.

Um abraco fornense de amizade.

al cardoso disse...

Deixaram cair aos bocados um antigo moinho e um lagar, que bem poderiam ter sido aproveitados para criar os tais balnearios, e tambem uma belissima unidade de restauracao, aproveitando a tematica "Moinho-Lagar", mas somos de vista muito curta.
Tomaram muitos ter uma zona destas, pois seria sem duvida uma praia fluvial de excelencia.

Um abraco do Al d'Algodres.