sábado, janeiro 13, 2007

Limites de consumo de combustível

Ora pois é...
Começo assim a minha participação neste blog com um post que acho de relativa importância.
Ora vejamos, sendo que a nossa economia (mundial) sofre sempre com conflitos que envolvem países produtores de petróleo, que este é um recurso não renovável e por isso findável. Dizem uns que este se esgotará em 10 anos, outros 40. O que é certo, é que a este ritmo, as reservas de petróleo estimadas são de 1 a 1,2 milhar de bilhões de barris, ou 150 bilhões de toneladas aproximadamente, consumir-se-ão em meio século.
Imaginem o mundo em que vivemos, sem petróleo... Um caos. Adivinho guerras por este recurso (ainda mais!!).

Pois assim agrada-me ler que os políticos tentam reduzir a nossa dependência a estas fontes de energia... Gosto de ver que nascem cada vez mais parques eólicos (que claro também têm desvantagens, mas que podem ser minimizada), e da implementação ou da sua tentativa de impor limites nos consumos dos automóveis.
Assim, o ministro alemão do Ambiente, Sigmar Gabriel, quer impor aos fabricantes de automóveis limites para o consumo de combustível nas viaturas novas, segundo uma entrevista publicada amanhã no jornal “Welt am Sonntag” (em O Público).


Espero assim que cada vez mais surjam iniciativas como estas por quem nos governa, de forma a tentar melhorar o futuro, mas não só por possíveis crises económicas, mas também porque menores consumos de combustível significam menores taxas de emissão de gases para a nossa atmosfera, com os já conhecidos efeitos nefastos para a nossa saúde e para a saúde ambiental!


Assim vos deixo, e até um próximo post.

Hugo

3 comentários:

Alexandre Lote disse...

Que grande entrada no blog. Esepro poder ler muitos mais...
Quanto a este post posso dizer que partilho das tuas preocupações e vejo tal como tu inúmeras vantagens nesta possivel medida do governo alemão...gostava só de acrescentar o seguinte:
Limitanto o consumo de combustível dos carros, limitar-se-á a potência dos mesmos, pelo que a velocidade dos mesmos será menor, o que leva em teoria em menor sinistralidade na estrada...Penso que seria uma medida que certamente ficaria marcada na história (caso venha a ser tomada) e façamos força para que o seja.
Abraço e espero continuar a ler uns posts teus no blog.
Cumprimentos, Alexandre Lote

Hugo Sousa disse...

Hum... Não sei se isso de menores velocidades será bem assim. Tome-se como exemplo o facto de um carro eléctrico ha uns anos não ser propriamente veloz, e ainda ha bem pouco tempo foi "lançado" um que atinge as 90 milhas em 4 segundos, qualquer coisa como 100km/h (www.teslamotors.com). Isto sim um carro do futuro! Por outro lado, motores mais eficientes surgirão... Para quem tiver dinheiro claro...

Mas não será bem por aqui que a sinistralidade diminuirá. Também espero que não tenhamos de esperar 10 ou 40 anos para que a mente portuga sofra uma verdadeira metamorfose.

Alexandre Lote disse...

Eu acredito que sim, porque quanto maior a velocidade maior o consumo de combustivel dos automóveis. Limitando o consumo está a limitar-se a velocidade.
E digo isto também porque acredito que dentro de alguns anos, também será limitada a velocidade dos carros...para o bem de todos!