sábado, janeiro 06, 2007

Portugal Dakar(tas)


Ora aí está, a mais conceituada prova de toda o terreno do Mundo novamente a ter inicio em Portugal. Mais uma vez, mostramos ao Mundo que, quando somos organizados, profissionais, empenhados e entusiastas somos do melhor que existe neste planeta para organizar qualquer tipo de eventos. Lembro-me rapidamente da Expo 98, Euro2004, Lisboa Masters Series, Campeonato do Mundo de Ciclismo e agora o Dakar.
Penso que, este tipo de projectos são na verdade um grande investimento para o país. Muitos são aqueles que demagogicamente dizem que com o dinheiro investido teríamos mais n hospitais, n maternidades, escolas, etc. Não concordo com estes porque só com o investimento da Estado Português seria impensável termos esta organização no nosso país. Trata-se portanto de uma parceria publico-privada com vista à realização de um evento, que sería obviamente impossivel para a construção de hospitais, escolas ,maternidades,etc, isto porque estaria a pôr em causa valores ético/morais enraizados (e bem) na nossa sociedade.Assim sendo, entendo este tipo de organizações do ponto de vista geral de uma estratégia de marketing, não só por parte das empresas patrocinadoras, como também do Estado. Neste tipo de estratégias a principal questão deve consistir no seguinte:
O investimento tem ou não retorno?
Parece-me óbvio que sim, pelo que espero sinceramente que Portugal contínue a investir em eventos deste tipo que não só prestigiam Portugal, como também os portugueses.

4 comentários:

Luis Almeida Pina disse...

Boas Alexandre, já por cá tinha andado mas nunca tinha comentado, faço-o agora, e digo-lhe que é excelente, o seu blog.
Já o adicionei, ao meu, e por cá andarei, cada vez que vier a este mundo global.
Um abraço

Alexandre Lote disse...

Grato pelo comentário senhor Luís, mas não me trate por senhor. Já nos conhecemos á muitos anos e sinceramente preferia que me tratasse por tu. Abraço,

Luis Almeida Pina disse...

Ok Xandinho. Um abraço

Alexandre Lote disse...

Assim fica melhor senhos Luís.
Abraço