quarta-feira, junho 06, 2007

Aeroporto Internacional de Lisboa na Ota - As duas faces da moeda!



Este é sem dúvida o grande tema de debate da população portuguesa.

Ainda na semana passada foi possível ver-se o Presidente da República (PR) admitir ser necessário um debate mais alargado na Assembleia da República sobre o aeroporto na Ota? Faz sentido esta pretensão do PR, ou não se tratasse do maior investimento de sempre do Estado Português.

Comecemos por partes.

Em primeiro lugar, parece-me que existe uma consciência geral na sociedade portuguesa, de que de facto, para sermos competitivos necessitamos de uma novo Aeroporto que corresponda de forma categórica às necessidades e exigências de quem nos visita mas sobretudo dos portugueses. Apenas alguns contrariam esta ideia, baseando os seus pensamentos em cenários eleitoralistas na Câmara Municipal de Lisboa. Jamais nos poderemos esquecer que este não é um projecto para Lisboa, é um projecto para Portugal!

Em segundo lugar parece-me inacreditável se passaram 30 anos de estudos e chegado este momento nem sequer foram conseguidas comparar duas alternativas quanto á localização. Mais grave ainda se torna, perante a velocidade vertiginosa a que o Mundo evolui e que torna portanto muitos desses estudos, pagos pelos contribuintes, em estudos obsoletos, desenquadrados por completo da realidade.

Assim, perante o esgotamento da Portela, previsto para 2010-2013 estamos perante uma situação dramática. A cada dia que passa estaremos a perder milhares de euros, pelo que a principal questão que se coloca é a seguinte:

Devemos efectuar mais um estudo alternativo (independente) sobre uma possível localização na margem sul do Tejo, mesmo que esse estudo demore no mínimo 6 meses, e sabendo que o mesmo pode vir a confirmar a opção Ota, ou devemos partir para a construção de um novo Aeroporto na Ota, apesar de todas as limitações do terreno, que obrigam em teoria a um investimento superior por parte do Estado, sem que se faça um estudo comparativo com outra localização na margem sul do Tejo? Basicamente a opção consiste em escolher qual das duas acarreta riscos menores.

Parece-me portanto que esta terá de ser sempre uma opção política, pelo que, caso o Governo como parece, vier a optar pela segunda opção, terá de ser julgado pela consciência individual dos cidadãos no momento do voto!

A minha opinião é que de facto deveria ser feito um estudo sobre uma nova localização, mesmo com todos os custos que isso acarreta e correndo o risco de esta vir a confirmar a Ota. Optaria assim, apenas e somente, de forma a clarificar a decisão e na profunda convicção que este estudo viria a confirmar a minha opinião. Jamais devemos ter medo da probabilidade de erro associado às nossas opções!

Devo no entanto referir, que perante todos os debates a que tenho assistido, tenho ficado com a clara impressão de que apesar das limitações quanto a uma possível expansão do novo Aeroporto na Ota, esta consiste em termos competitivos a melhor solução para o País!

3 comentários:

al cardoso disse...

A unica objecao que coloco a OTA, e o facto de poder ser pequeno a curto prazo e sem possibilidades de expancao!

Para nos ate ficaria mais perto!

Um abraco amigo do d'Algodres.

al cardoso disse...

Ate ao fim do ano vamos ficar na duvida, sera na Ota ou em Alcochete?

Uma boa semana e um abraco.

Tem andado desaparecido!!!

Anónimo disse...

Good dispatch and this fill someone in on helped me alot in my college assignement. Gratefulness you on your information.