segunda-feira, abril 02, 2007

Violência no Futebol - Um fenómeno que tarda em desaparecer!


Pois bem, depois do Benfica-Porto de ontem á noite, num espectáculo com mais de 60.000 pessoas nas bancadas, pensava utilizar este espaço para descrever todo o ambiente, o jogo em si, episódios caricatos que pudessem ter ocorrido, etc., mas sinceramente depois das imagens que visualizei durante o dia, não podia deixar passar em claro a violência que se verificou neste clássico.

As primeiras imagens de violência chegaram ao meu écran por volta das 19:30 com adeptos do meu clube (Benfica) a virarem toda a sua ira contra os jornalistas, o que mesmo desconhecendo as razões que levaram a estes actos de vandalismo, me envergonha enquanto benfiquista e envergonha a instituição Sport Lisboa e Benfica.

Posteriormente, no decorrer do jogo, com um cenário fantástico, um ambiente certamente indescritível por quem lá esteve, com os jogadores de ambos os lados a fazerem tudo em busca do melhor resultado, cheio de fair-play dentro das quatro linhas, com emoção, enfim com tudo o que de bom se pode esperar de um espectáculo/arte. Aconteceu que para contrariar todo este ambiente surgiu uma claque que resolveu atirar petardos, very-lights, etc., sem se perceber muito bem qual é o objectivo daqueles arremessos, uma vez que não entendo de que forma aquilo contribui para o incentivo a jogadores do Futebol Clube do Porto. A verdade é que o resultado dentro das quatro linhas foi 1-1,mas fora das quatro linhas 3 adeptos do Benfica foram internados devido a problemas relacionados com o lançamento de tais petardos (7!!!!!) e very-lights para a zona dos adeptos do Benfica. Mais inqualificável é esta atitude, quando a direcção do Benfica contrariou as indicações da PSP possibilitando aos adeptos portistas que ficassem sentados no topo de uma das bancadas, sendo que esta decisão se baseou certamente em dois princípios, o do afastamento o mais possível dos adeptos do apoio á sua equipa (todos os clubes o fazem) e a segunda por razões de segurança, uma vez que tal como eu pude visualizar num dos últimos clássicos era inacreditável a chuva de objectos que os adeptos portistas sofriam durante o jogo, numa atitude vergonhosa por parte dos adeptos do meu clube.

Coloquem-se no lugar, daquele simples adepto, amante do futebol, simpatizante de um ou de outro clube que quer ir ao Estádio somente para desfrutar do jogo em si e do espectáculo que o mesmo envolve, com a sua família e se depara constantemente com cânticos obscenos de parte a parte, com atitudes de vandalismo (normalmente das claques), arremessos de petardos e objectos, agressões físicas entre adeptos e polícia! Ele certamente deve ter um momento em que decorre no seu pensamento a ideia de revolta para com o facto de ter convidado os seus filhos para assistirem a comportamentos que espera que eles nunca venham a ter no futuro, para a audição de palavras que certamente procurará que estes as pronunciem o menor número de vezes possível, para a inversão de tudo aquilo que julga ser as regras da boa educação, o que certamente o levará no mínimo a admitir a hipótese de nunca mais voltar ao estádio privando-se assim de algo que ele de facto também ama: o FUTEBOL!

Ao ver o futebol inglês, sinto-me como se tivesse 100 anos, uma vez que se assola sobre mim um sentimento de saudosismo ao ver aqueles adeptos a entoar os hinos do clubes, a terem a possibilidade de estarem praticamente sentados ao lado dos jogadores/treinadores, a conviverem e a desfrutar daquilo que de melhor pode ter um espectáculo, ou seja o abraço que damos a um adepto que nem sequer o conhecemos no momento do golo da nossa equipa, a partilha do sofrimento, da ansiedade, do alívio em determinados momento do jogo, em suma a partilha das emoções!!

O futebol é um jogo de emoções, o que por vezes nos leva a entrar facilmente no mundo do "irracional", no entanto, só aqueles que são de facto irracionais conseguem destruir tudo o que de bom este espectáculo nos pode trazer, incutindo neste mundo um conceito que jamais deveria estar presente, o medo!

Para finalizar, julgo sinceramente que deveriam ser tomadas severas por parte dos dirigentes, FPF, LPF, de forma a irradiar estes comportamentos dos Estádios portugueses, uma vez que com medidas "educativas" o resultado continua a ser muito preocupante!

5 comentários:

Daniel Pinto disse...

Tens toda a razão. Faço minhas, as tuas palavras. É pena q as claques não percebam que o futebol precisa do seu espectáculo, as equipas precisam do seu apoio, mas o que se viu ontem foi tudo menos espectáculo e apoio. Sou Portista, mas ontem se me tivesse calhado ficar na bancada de baixo das claques do Porto, ou conseguia mudar de lugar ou vinha mesmo embora. Quer se queira, ou não, as claques fazem parte do espectáculo, e os estádios e o futebol precisam delas. Mas também têm que perceber q não lhes é permitido tudo, e que a essência da sua existência deve ser sempre o apoio e a paixão pelo seu clube. Ontem os verdadeiros artistas deram um excelente exemplo do que deve ser um jogo bem disputado, competitivo e com respeito entre os intervenientes. Foi bonito de ver diversas atitudes antes, durante e após protagonizadas pelos jogadores. Ambas as equipas quiseram ganhar, jogaram nos limites... pena q o fair-play não encontrou correspondência nem à porta do estádio nem nas bancadas! Abração

Alexandre Lote disse...

O acontecimento mais caricato aconteceu ontem... A SAD do FCP diz que a responsabilidade do que aconteceu foi do benfica e da polícia.Sinceramente, não há paciência...por lá o benfica decidiu dar aos seus adeptos umas cartolinas para colorirem o estádio e aos adeptos portistas deram very-lights e petardos para que eles pudessem abrilhantar o espectáculo.

HAJA BOM SENSO

Vitor Pinto disse...

Os SuperDragões no Estádio da Luz

O Benfica pode dar as voltas que quiser, pode emitir comunicados com os argumentos mais imbecis, pode aparecer na figura do seu presidente, a vomitar as desculpas mais ridículas, mas de um facto não pode escapar. Colocar os adeptos do FC Porto, onde se incluem as suas claques, num nível superior do estádio foi um erro de enormíssima gravidade, que, na minha opinião, soa a propositado para obter benefícios posteriores.

A claque dos SuperDragões tem na sua história uma série longa de actos pouco recomendáveis (para utilizar um eufemismo) alguns dos quais, de resto, o próprio líder fez questão de revelar orgulhosamente num livro que publicou. Portanto, vir dizer, como veio o Benfica, que o mesmo local do estádio foi ocupado pelos adeptos dos clubes ingleses nos jogos europeus e que nada de mal aconteceu para justificar a colocação dos SD naquele sítio é o mesmo que dizer que não se conhece a claque SuperDragões, não se está a par dos problemas que causou no passado, e se passa uma esponja sobre o actual ambiente de crispação vivido entre os dois clubes. Obviamente, não acredito. Não acredito que o SLB desconheça quem são os SD e da ameaça que, infelizmente, eles constituem.

Também não acredito que o SLB pense que todos os jogos são iguais, que todas as claques ou grupos de adeptos são iguais, ou que todos os ambientes que envolvem todos os jogos de futebol são iguais. Muito menos no que diz respeito a este jogo, que tinha todos os sintomas e mais alguns para vir a dar problemas e, consequentemente, exigir uma acção preventiva da parte de quem tem a responsabilidade de o organizar. Para começar, a questão Apito Dourado – cuja influência nas arbitragens deste campeonato é notória e prejudicial para o FC Porto - tem sempre uma influência negativa no ambiente de um jogo como este, e não é de estranhar que as provocações aconteçam e que os comportamentos cheguem a extremos mais facilmente. Isto, a somar à diferença de apenas um ponto entre as equipas, à constante previsão (por vezes camuflada) da comunicação social de que o Benfica sairia deste jogo à frente do campeonato, e à nomeação de um árbitro lisboeta a benfiquista, eram sinais de que tudo o que se pudesse fazer para prevenir situações complicadas era pouco.

E o Benfica fez precisamente o contrário: colocou as claques do FC Porto num local de onde era mais que previsível que começassem a "chover" objectos. Mais: nos dias que antecederam o jogo, fez questão de anunciar que, "desta vez" (numa alusão aos problemas de há dois anos, cuja responsabilidade foi mais uma vez do Benfica, se todos estão recordados), as claques do FC Porto teriam de se sujeitar aos torniquetes. Hoje, sabemos que havia número insuficiente de torniquetes para fazer passar mais de três mil adeptos portistas, entre os quais largas centenas que não serão propriamente conhecidos por gostarem de estar numa fila civilizadamente à espera.

É lógico que não pretendo, com este discurso, desculpar os actos violentos da claque que se diz adepta do meu clube. Infelizmente esses actos não são de hoje, nem pararão agora. Qualquer pessoa que minimamente acompanha o futebol português sabe disto e sabe a ameaça que os SuperDragões por vezes constituem, por isso há que fazer uma política de prevenção, que o Benfica não fez. O Benfica é, para mim, culpado de ter provocado a situação. E aqui volto à questão inicial, a de ter havido má fé e um objectivo claro para que as coisas corressem mal com os adeptos do FC Porto.

Mas, de propósito, porquê? Será porque os actos graves de adeptos podem originar interdição do estádio ou jogos à porta fechada do clube de quem eles são adeptos? Será que houve aqui um objectivo maquiavélico por parte do SLB de provocar a punição do FC Porto devido aos actos das suas claques, actos esses completamente facilitados por uma organização negligente? E tudo isto colocando em perigo a segurança dos próprios adeptos do Benfica, quais alvos civis que um qualquer ditador sacrifica aos bombardeamentos aéreos do inimigo só para depois se vir armar em vítima?
in pobodonorte
Vitor Pinto

Alexandre Lote disse...

Este é um post em que a emoção nos leva a adulterar a razão. Possivelmente eu próprio o faço quando opino sobre este tema. No entanto grande mister, essa do benfica ser o principal culpado do que aconteceu...parece a historia do ladrão que para se defender a culpa do assalto não foi dele,foi da pessoa assaltada, isto porque se tivesse um sistema de segurança adequado ele jamais faria o assalto!

Os principais responsáveis foram alguns membros da claque dos Super Dragões independentemente de tudo o que se possa dizer.

Quanto a benfica e PSP tb têm culpas,obviamente porque a segurança do estádio é da sua responsabilidade.

Quanto á colocação dos adeptos, volto a dizer que é a IDEAL na minha opinião! Já vi lá pelo menos 2 classicos benfica-porto, em que o que fizerem aguns barbaros adeptos poristas a adeptos benfiquistas este ano, foi feito por barbaros adeptos benfiquistas a adeptos portistas nos 2 anos anteriores.

E eu ao olhar para aquilo pensei...que estupidez! Mas porque é que os adeptos do Porto nao ficam em cima? Paravam de levar com objectos e a polícia no caso de alguns deles os quererem arremeçar, controlam muito mais facilmente 3 mil adeptos portistas, que 15 mil benfiquistas...mas ao k parece nao resultou...foi pena porque na minha opinião continua a ser a melhor solução, sendo que é obviamente necessário mais organização!

Grande abraço mister e mais uma vez, espero contar com os seus comentários mais vezes nos posts deste espaço!

Alexandre Lote disse...

correcção ao meu comentário: " o ladrão para se defender diz que a culpa do assalto nao foi dele..."

Fica a correção