quinta-feira, abril 26, 2007

O reconhecimento de Portugal no Mundo!


Este post baseia-se na mais recente nomeação de Jorge Sampaio como Alto Representante para o Diálogo das Civilizações da ONU.

Parece claro que os políticos portugueses começam a ser reconhecidos no estrangeiro, como o confirmam os recentes convites endereçados a alguns dos nossos mais conceituados políticos. Recordo-me dos mais mediáticos, ou seja, Durão Barroso (Presidente da Comissão Europeia), António Guterres (Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados) e agora Jorge Sampaio (Alto Representante para o Diálogo das Civilizações da ONU). Sinceramente tenho muito orgulho, no facto de verificar que existe reconhecimento por parte de outros países/sociedades do valor intelectual dos portugueses e na sua capacidade de liderança em áreas tão distintas mas de tão grande interesse mundial.

Fico sobretudo agradado, não pela dimensão mediática dos cargos, mas sobretudo pela qualidade dos cargos. Quando me refiro a qualidade, faço-o olhando para a grande responsabilidade que qualquer um dos três portugueses enunciados anteriormente tem e terão na construção de um mundo melhor. Termos três portugueses, em cargos de tão elevada responsabilidade e sobretudo dificuldade é algo que para além de nos dever dar a consciência de que somos tão bons ou melhores que os melhores, deve indicar-nos também que por certo existe em Portugal massa humana e ideológica para ultrapassarmos a crise em que o País se encontra.

Obviamente, no caso de António Guterres e Jorge Sampaio, o facto de Portugal ser um País com ideias bastante definidos em relação aos direitos humanos e com provas dadas nesse campo, torna o olhar do Mundo para com o nosso País, um olhar de esperança que sejamos nós a dar passos de ruptura com o que de mal está enraizado na sociedade mundial, por forma a que a defesa dos direitos humanos em todo o Mundo seja cada vez mais uma realidade e não uma miragem!

Tal ideia é também defendida por Jorge Sampaio, que declarou hoje á imprensa "O convite sensibilizou-se pessoalmente, mas corresponde também ao reconhecimento do papel histórico que Portugal tem vindo a assumir". Terá certamente um trabalho dificílimo pois aproximar o mundo islâmico do ocidental, é algo que...na minha opinião ainda ninguém conseguiu. No entanto eu acredito que o nosso ex-Presidente da República tem todas as condições intelectuais e sobretudo humanas, para que o resultado do seu trabalho seja considerado positivo pela Comunidade Internacional. No fim cá estaremos certamente para o congratular pelo trabalho efectuado e sobretudo por ter aberto novos horizontes para Portugal e para os portugueses.

1 comentário:

al cardoso disse...

O facto de ter ascendencia judaica, embora nao pratique nenhuma religiao, talvez o faca ter mais sensibilidade para o tema do entendimento entre povos de religioes diversas, que aparentemente, e o foco das ultimas tensoes que acontecem no mundo!

Um abraco do d'Algodres.