terça-feira, abril 03, 2007

A TVI está a brincar com a inteligência dos portugueses!

Já não consigo ficar mais tempo sem me referir a determinados programas que passam na televisão portuguesa. Considero um insulto à inteligência de todos os portugueses o programa que passa todos os dias na TVI, intitulado "Quem quer ganha"! Chega a ser ridículo a quantidade de pistas que a apresentadora dá aos telespectadores por forma a que estes consigam adivinhar a resposta que até um menino que esteja a começar a aprender a escrever consegue decifrar facilmente. O mais espantoso de tudo isto é que a apresentador ainda consegue soltar algo do tipo: " Ganhou!!! Muito Bem!!! Parabéns!!! " Que cinismo...

Compreendo perfeitamente que não sendo a TVI uma estação pública de televisão, a pressão exercida pelas audiências sobre a estação seja incomparavelmente maior que no caso da RTP por exemplo. No entanto julgo que era evitável esta tentativa exacerbada do alcance do objectivo das audiências sem olhar a meios, sem olhar sobre si própria e reparar que o tipo de televisão que está a fazer pode ser proveitoso no momento presente, mas será certamente um projecto sem futuro. Digo isto porque um projecto que personifique e faça jus á frase "os fins justificam todos os meios" na minha modesta opinião está condenado ao fracasso!

A TVI na generalidade apresenta programas que basicamente têm como objectivo não fazer pensar muito o telespectador! Não há necessidade de os cansar, pensará por certo o Dr. José Eduardo Moniz! Eles chegam cansados a casa, querem é controvérsia e temas de conversa para o dia seguinte, se o programa tem o não qualidade isso não interessa muito!

O ponto alto, no entanto chegou a nossas casas á bem pouco tempo, com o programa "A bela e o mestre"! O objectivo deste programa é simplesmente ser de tal forma polémico, que seja essa a "arma" para conquistar audiências, e como sinceramente a mim não me apetece nada mas mesmo nada contribuir para essa conquista, deixo somente estas palavras "Fraquinho, fraquinho, fraquinho"!

Do ponto de vista jornalístico a TVI já deveria ter percebido que as o público-alvo do telejornal é completamente diferente de todos os outros programas que a estação exibe, daí que um telejornal menos sensacionalista talvez conseguisse competir com o da RTP. O sensacionalismo chega ao ponto de, em pleno telejornal serem dadas pistas sobre quem seria o tubarão numa das novelas da estação, o que diga-se, do ponto de vista jornalístico poderia ser tudo menos uma notícia com destaque para passar num telejornal.

O sensacionalismo é no entanto a imagem de marca da estação, daí que, a TVI prefere perder a batalha dos telejornais, mas ganhar a guerra das audiências.

No entanto ao longo dos anos apercebi-me que é possivel ser-se um vencedor sem qualidade, mas a verdade é que aqueles alcançam o sucesso sem qualidade jamais conseguirão continuar a percorrer a estrada do sucesso e das vitórias!

4 comentários:

al cardoso disse...

Felizmente por aqui nao ha TVI, senao tambem me sentiria incomodado.
Tudo isto tem que ver muito com o facilitismo implementado por todo o lado.
Alem disso usar muito a cabeca, da dores na dita cuja!!!

Um Pascoa com muita saude e felicidade, com um abraco d'Algodres.

al cardoso disse...

Caro Alexandre:

pode mandar-me qualquer email para:
alcard8@hotmail.com

Luis Almeida Pina disse...

Amigo Xandinho, eu um certo dia, estando numa consulta em Coimbra com minha esposa na sala de espera, a tv que por lá se encontrava, estava nesse concurso, e quando deram a pergunta para casa, sem qualquer ajuda, da palavra que era "Coimbra", nem por acaso, eu logo peguei no telemóvel e fiz quatro tentativas e do outro lado me diziam que a pergunta estava certa que aguarda-se, e aguardei, só que fiquei pelo aguardar, e para meu espanto o prémio foi entrgue a uma senhora dos Açores que lhe bastou acertar na letra "m" pois as outras estavam lá todas, disse cá para mim, isto é pura mentira ou o concurso mais estúpido que a televisão tem. Jamais quis ver este programa.
Um abraço

Anónimo disse...

Concordo com este artigo, mas na verdade isto é assim pela Europa fora. Na Inglaterra, Alemanha, Austria entre outros países existem deste género de programas, passatempos e votações em muito maior número do que em Portugal. O que está por trás disto é simples, chamam-se chamadas de valor acrescentado, e objectivo é ter o maior número delas. Logo faz-se a pergunta e dá-se praticamente a resposta para obter o máximo de chamadas. Normalmente teem um publico alvo neste caso desempregados, reformados e donas de casa...